conecte-se conosco

Tecnologia

SpaceX se prepara para lançar o foguete mais poderoso do mundo

Publicado

em

A SpaceX se prepara para realizar o primeiro lançamento de teste, terça-feira (6), do foguete Falcon Heavy, que aspira a ser o mais poderoso do mundo e, um dia, a levar pessoas à Lua ou a Marte.

O lançamento mais ambicioso da SpaceX poderia, de acordo com os especialistas, mudar as regras deste mercado, por seu potencial para colocar a empresa do bilionário Elon Musk à frente na corrida espacial.

“A Nasa pode decidir usar (o Falcon Heavy) como uma forma de acelerar seus planos para chegar à Lua e a Marte”, disse à AFP Erik Seedhouse, professor assistente de Ciências Aplicadas à Aviação na Embry-Riddle Aeronautical University.

O lançamento de terça-feira “é um grande momento, inclusive para uma empresa espacial que rotineiramente realiza grandes coisas”, expressou Jason Davis da Planetary Society, descrevendo o Falcon Heavy como “mítico”.

O Falcon Heavy decolará às 13H30 locais (16H30 em Brasília) em Cabo Canaveral, Flórida.

– Bowie de fundo –

A nave levará a bordo um manequim com um traje espacial futurista, que irá dentro do Tesla vermelho de Musk.

“Starman em um Roadster vermelho”, escreveu Musk ao publicar, nesta segunda-feira, uma foto no Instagram em que aparece o carro e seu piloto sobre uma espécie de pedestal.

O bilionário também disse que a canção “Space Oddity” de David Bowie tocará no veículo durante o lançamento.

O Falcon Heavy será lançado ao espaço profundo, a uma distância similar à de Marte em relação ao Sol, mas sem se aproximar muito do Planeta Vermelho.

“Estaremos no espaço profundo por um bilhão de anos se (o foguete) não explodir na subida”, disse Musk no Twitter.

Mas mesmo se o lançamento falhar, segundo Seedhouse, isso dificilmente afetará a imagem da SpaceX, que já é o maior fornecedor de provisões à Estação Espacial Internacional (ISS), com um contrato de 1,6 bilhão de dólares com a Nasa.

“No ano passado, fizeram mais lançamentos que qualquer país (…), e se recuperaram de cada fracasso que tiveram”, opinou Seedhouse.

O lançamento é também um marco nos esforços dos Estados Unidos para enviar astronautas ao espaço, uma capacidade à que renunciou quando suspendeu seu programa espacial em 2011, após três décadas de funcionamento.

Desde aquele ano, todos os astronautas se valeram dos foguetes russos Soyuz para chegar à ISS.

– Operação poderosa –

O foguete Falcon Heavy “foi desenhado desde o início para transportar humanos ao espaço e recuperar a possibilidade de fazer missões tripuladas à Lua ou a Marte”, disse a SpaceX em um comunicado.

“Quando o Falcon Heavy decolar será o foguete operativo mais poderoso do mundo”, acrescentou a empresa, explicando que a nave pode levar até duas vezes mais carga que o modelo mais parecido com ela, o Delta IV Heavy, mas por “um terço do custo”.

O Delta IV Heavy custa cerca de 350 milhões de dólares por lançamento, segundo a United Launch Alliance, enquanto o Falcon Heavy ronda os 90 milhões.

Com 70 metros de altura por 12 de largura, o foguete foi projetado para pôr até 63,8 toneladas na órbita terrestre, acima da massa total de um avião 737 totalmente carregado.

O Falcon Heavy é basicamente três foguetes Falcon 9 em um, com um total de 27 motores Merlin.

Todos estos motores “juntos geram mais de cinco milhões de libras de impulso no lançamento, o que equivale a aproximadamente 18 aviões 747”, indicou a SpaceX.

Outros modelos anteriores de foguetes, que já não estão operativos, foram mais poderosos que o Falcon Heavy, como o foguete lunar Saturn V – lançado pela última vez em 1973 – e o Energia da era soviética, que voou em 1987 e 1988.

Anúncio

Tecnologia

Space X lançará satélites para criar rede de banda larga global

Publicado

em

Foto: Reuters / Thom Baur

Após o inesquecível lançamento do potente foguete Falcon Heavy X – que enviou um carro elétrico em direção a Marte -, a Space X está voltando a sua rotina.

Neste fim de semana, a empresa vai fazer um novo lançamento do Falcon 9 para levar dois satélites experimentais que farão parte de um plano em escala global de banda larga.

De acordo com o ‘The Verge’, o envio dessas duas tecnologias – chamadas de Microsat-2a e Microsat-2b – fazem parte de um plano ousado que consiste em criar uma constelação gigante de cerca de 12.000 satélites, que irão orbitar a Terra de forma sincronizada.

Esta frota de satélites irá transmitir conexão à Internet para antenas na superfície do planeta. A tecnologia ficará em movimento constante ao redor do planeta e supostamente será capaz de fornecer cobertura em praticamente qualquer ponto do planeta, a qualquer momento.

De acordo com o presidente da Federal Communications Commission (FCC), Ajit Pai, “a tecnologia dos satélites pode ajudar os americanos que vivem em meios rurais ou em sítios onde os cabos de fibra ótica não chegam”.

Continue lendo
Anúncio
Anúncio

Brasil

Ciência

Mundo

Anúncio

Mais Lidas