conecte-se conosco

Esportes

Palmeiras vence e mantém 100% de aproveitamento no Paulista

Publicado

em

Foto: Flickr / Sociedade Esportiva Palmeiras

Depois de correr algum risco nos primeiros 20 minutos de jogo, o Palmeiras passou a dominar a partida em Mirassol e obteve a sexta vitória seguida no Campeonato Paulista. O gol de Miguel Borja, o terceiro dele no ano, saiu aos 23 minutos de jogo.

Quase 12 mil pessoas lotaram o estádio em Mirassol e assistiram ao time da casa pressionar o visitante no início da partida.

Num dos lances no começo do jogo, depois de uma difícil defesa do goleiro Jailson, o meia Lucas Lima impediu o gol do Mirassol tirando a bola de cima da linha do gol. Logo depois, coube ao meia ajudar o Palmeiras a abrir o marcador.

Ele pressionou a saída de bola do adversário, roubou a bola na intermediária de ataque e deu uma assistência precisa para Borja.

O colombiano, agora um dos artilheiros da equipe no Paulista, invadiu a área e enfiou a bola pelo meio das pernas do goleiro Fernando Leal.

Depois de controlar o jogo no segundo tempo, o Palmeiras ainda fez o segundo, aos 40 minutos de partida. Borja sofreu pênalti, convertido pelo capitão Dudu.

O Palmeiras disparou na liderança do Grupo C. Ele tem agora 18 pontos, contra 9 do São Bento, o segundo colocado.

Além do 100% de aproveitamento, o saldo de gols do time do Palmeiras mostra um time equilibrado neste início de temporada. Enquanto o ataque marcou nove gols, a defesa sofreu três.

MIRASSOL

Fernando Leal, Danilo Boza, Jesiel, Edson Silva e Marlos Freitas; Wellington Reis, Paulinho, Léo Baiano (Zé Roberto) e Rodolfo (Xuxa); Gilsinho (André Luis) e Douglas Baggio.

T.: Moisés Egert.PALMEIRAS Jailson, Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Michel Bastos; Felipe Melo, Tchê Tchê (Thiago Santos) e Lucas Lima (Gustavo Scarpa); Willian (Keno), Dudu e Borja.

T.: Roger Machado.Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira

Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Evandro de Melo Lima

Público/Renda: 11.000/R$ 667 mil

Cartões amarelos: Douglas Baggio, Paulinho, Jesiel, Zé Roberto e André Luis (MIR); Antônio Carlos e Felipe Melo (PAL)

Gols: Borja, pelo Palmeiras, aos 23 minutos do primeiro tempo; e Dudu, pelo Palmeiras, aos 40 minutos do segundo tempo.

Anúncio

Esportes

Tribunal de Milão diz que Robinho ‘desprezou’ vítima de abuso sexual

Publicado

em

Foto: Getty Images

Uma juíza da nona seção do Tribunal de Milão, na Itália, revelou nesta quinta-feira (22) as motivações da sentença aplicada ao atacante brasileiro Robinho em novembro de 2017 por “violência sexual em grupo” contra uma jovem albanesa.

De acordo com o relatório de 28 páginas, o atual atacante do time turco Sivasspor, Robson de Souza Santos, e seu amigo Ricardo Falco mostraram um “desprezo absoluto” pela jovem “exposta a humilhações repetidas, bem como a atos de violência sexual pesados”, descrito em suas “conversas interceptadas”.

“Termos chulos e desdenhosos, sinais inequívocos de falta de escrúpulos e quase consciência de uma futura impunidade”, diz o texto, ressaltando que “isso levou o acusado até mesmo a rir várias vezes do incidente, destacando assim um absoluto desrespeito pela condição da vítima”.

O caso ocorreu em 22 de janeiro de 2013, quando Robinho defendia o Milan e a vítima tinha 22 anos. Segundo a investigação, o ato teve a participação do jogador e de mais cinco amigos. Apenas Falco foi identificado, enquanto os outros quatro réus não foram rastreados pela Justiça, que suspendeu o processo contra eles.

Os dois foram condenados a nove anos de prisão e respondem o processo pelo crime de violência sexual em grupo com abuso de “condições de inferioridade física e mental” da jovem, já que ela havia ingerido bebida alcoólica. A juíza Mariolina Panasiti, juntamente com Piera Gasparini e Simone Luerti, decidiu pela pena após “avaliar a personalidade dos perpetradores de abuso”.

A jovem mulher que foi estuprada, aos 23 anos, depois de quase quatro anos, mostrou “ainda os sinais” de um “trauma psíquico”. E isso, para a Corte, é observado em seu testemunho. “Uma história caracterizada agora por emoção intensa, por tons subjugados, típicos de uma pessoa que chegou com esforço para fazer a queixa, e isso parecia particularmente fraco diante do caso”.

Segundo o depoimento da vitima, ela já conhecia Robinho e alguns de seus amigos e estava com o grupo e duas amigas no Sio Café, em Milão, para uma festa de aniversário. Em determinado momento, segundo a albanesa, suas amigas foram embora e Robinho levou a esposa para casa.

Osréus então teriam oferecido bebida à vítima até “deixá-la inconsciente e incapaz de se opor”. Na reconstrução elaborada pela Procuradoria, o grupo levou a jovem para o guarda-volumes da boate e, se aproveitando de seu estado, manteve “múltiplas e consecutivas relações sexuais com ela”. A defesa, por sua vez, afirma que não há nenhuma prova de que a albanesa não tenha consentido com a relação nem de que ela teria ingerido bebida alcoólica.

No Facebook, a equipe de Robinho diz que ele “já se defendeu das acusações, afirmando não ter qualquer participação no episódio”. O processo de recurso ainda está em andamento.

(ANSA)

Continue lendo
Anúncio
Anúncio

Brasil

Ciência

Mundo

Anúncio

Mais Lidas