Conecte-se conosco

Ciência

Nasa divulga vídeo acelerado com o ‘mais completo retrato global da vida na Terra’

Publicado

em

Por 20 anos, satélites da Nasa, agência especial americana, filmaram a vida na Terra. As imagens, segundo cientistas, formam a “mais completa fotografia” do nosso planeta.

“O que estamos tentando aprender aqui não é só a existência e distribuição de padrões de vida na Terra, mas como todo o ecossistema se conecta. Então, não é só uma observação do oceano, não é só uma observação do solo, não é só uma observação da atmosfera, é observar todas essas coisas juntas”, diz Jeremy Werdell, oceanógrafo da Nasa.

As imagens retratam a mudança climática. Dá para ver, por exemplo, a mudança no volume de neve ao longo dos anos, e uma alteração na cor do oceano causada por um conjunto de plantas marinhas chamado fitoplâncton.

“Uma das coisas interessantes que estamos vendo é que, se você olhar para esses desertos (no meio o mar) ali… A área desse roxo está começando a ficar maior e maior com o tempo, e isso é consistente com nosso entendimento de um planeta mais quente”, diz Werdell.

O registro das mudanças na Terra pode ajudar até na busca por vida em outros planetas, garantem os cientistas.

“Esse é o único lugar onde pode ser estudada a conexão entre nossa vida, a vida das plantas, a vida dos animais, no ecossistema ao redor. Então, ao fazer isso, nós conseguimos compreender melhor como essas conexões são feitas, o que tornará bem mais eficiente a procura por vida em outros planetas”, afirma o oceanógrafo.

A Nasa diz que o projeto está só começando – a agência acaba de lançar um novo satélite, que continuará a “ficar de olho” no nosso ecossistema.

Continue lendo
Comentários

Ciência

Mineral mais duro que diamante é descoberto por cientistas

Publicado

em

Foto: Reprodução/webmineral.ru

A substância não identificada foi achada por garimpeiros na Sibéria (Rússia) dois anos atrás. Desde estão foram realizados exaustivos testes para se descobrir do que se tratava.

A conclusão foi que os cientistas estão diante de um mineral não catalogado e formado no espaço. Os especialistas nomearam a descoberta de uakitite.

O mineral mais duro que diamante foi descoberto em um meteorito por cientistas russos, de acordo com reportagem do “Mirror”.

“Há um número de minerais e de substâncias que podem ser formados sob condições cósmicas e que não são encontrados na Terra”, explicou Boris Shustov, diretor do Instituto de Astronomia da Academia de Ciência da Rússia.

Estruturalmente, o novo mineral é relacionado ao carlsbergite (CrN) e ao osbornite (TiN). Por causa da pequena quantidade encontrada, as propriedades físicas do uakitite são difíceis de ser determinadas. A Universidade Federal de Ural continua estudando o mineral. Com informações do Page Not Found.

Continue lendo
Ad

Facebook

Brasil

Ad

Mundo

Mais Vistas