Início Famosos e TV Fani quer congelar óvulos e diz que Diego Alemão pode ser doador

Fani quer congelar óvulos e diz que Diego Alemão pode ser doador

146
Foto: Reprodução / Instagram

A modelo e ex-BBB Fani Pacheco, 36, quer congelar seus óvulos já fecundados para se tornar mãe futuramente. Ela afirma também que, para realizar o sonho, já pensou em pedir a ajuda de Diego Alemão, seu colega de confinamento no BBB, em 2007. Na época, eles protagonizaram na casa um triângulo amoroso com outra participante, a atriz e apresentadora Íris Stefanelli.

“Estou querendo congelar [os óvulos] já fecundados, com um esperma comprado, com mapeamento, ou ver se eu arrumo um esse ano. Pensei até em pedir para o Alemão [ex-BBB] porque a genética dele é boa, os pais dele são supersaudáveis”, diz.

A declaração foi dada ao programa Luciana By Night, de Luciana Gimenez na RedeTV!,  que vai ao ar na noite desta terça (19).

Fani também falou sobre os seus atuais projetos, como o sonho de fazer medicina, faculdade que ela começou a cursar em 2018 após três anos prestando vestibulares. “Eu tinha tomado duas garrafas de vinho antes da prova. Acordei completamente embriagada, feliz e não tinha condição de dirigir. Meu ex-noivo me levou e falou: ‘Vai fazer, você se inscreveu’. Então eu fui fazer a prova bêbada e passei”, disse. Ela afirmou que “ficou relaxada” e, por isso, foi bem no exame. 

A ex-BBB contou também que cursar medicina é um sonho que foi motivado pela doença da sua mãe, já falecida, e que foi diagnosticada com esquizofrenia.  “Descobri aos 14 anos que ela tinha e que, na verdade, existia um preconceito da própria família e da sociedade também em não assumir a doença em si”, contou ela, que pretende se especializar em psiquiatria. 

Neste ano, Fani passou em outro vestibular para medicina e vai pedir a transferência do curso para ficar mais perto de onde mora.

A modelo também contou que sua vida “virou um inferno” após ter dado uma declaração de que gostava de se relacionar com homens e mulheres. Ela explicou, no entanto, que não é bissexual. “Eu era bissexual quando eu escolhia ser. No meu caso, gosto de meninos e tive uma fase que quando não tinha meninos legais eu procurava meninas. Isso dependia do dia, do meu humor, do momento.”

Ao ser questionada se seria possível se apaixonar por uma mulher, ela afirma: “Acho muito difícil, porque eu gosto muito de homem.”