Conecte-se conosco

Ciência

Cientistas desvendam o mistério da construção das pirâmides

Publicado

em

Cientistas sabem quais foram os métodos utilizados pelos egípcios para transportar os blocos de pedra de muitas toneladas do sul ao norte do país para construção das grandes Pirâmides de Gizé, disse em entrevista ao jornal árabe Asharq al-Awsat o famoso arqueólogo Zahi Hawass.

Há pouco, o jornal Daily Mail publicou um artigo sobre um grupo de arqueólogos ter descoberto o mistério da construção das pirâmides com ajuda de um papiro antigo. O documento descreve em detalhes o modo usado pelos egípcios há mais de 4.600 anos para transportar blocos pesados de granito e calcário a longas distâncias [mais de 800 km: de Assuã no sul do Egito até Gizé para construir a grande Pirâmide de Quéops]. Por exemplo, no papiro está escrito que foram usados canais especiais de água para transporte dos blocos.

Segundo Hawass, não há nada de novo nesta “descoberta”.

“O transporte era realizado do porto especial no local da exploração da pedra em Assuã em barcos de madeira que iam pelo Nilo, e depois pelos canais de construção até o porto especial perto das pirâmides”, disse ele.

O complexo das Pirâmides de Gizé está situado na margem ocidental do Nilo ao lado do Cairo. As três pirâmides mais conhecidas do mundo têm aproximadamente 4,5 mil anos de idade: Quéops, Quéfren e Miquerinos.

Continue lendo
Ad
Comentários

Ciência

Restos antigos de 2.500 anos são encontrados em sarcófago ‘vazio’

Publicado

em

📷 Reprodução / Facebook / Nicholson Museum

Uma múmia de 2.500 anos foi finalmente descoberta em um caixão preservado na Universidade de Sydney durante os últimos 150 anos. Antes pensavam que o sarcófago estava vazio.

Os arqueólogos do Museu Nacional, que é o mais velho da Austrália, ao levantarem a tampa do antigo caixão, encontraram os restos humanos. A múmia não estava completamente intacta e os restos estavam um pouco danificados, comunica o canal ABC News.

Enquanto os hieróglifos no caixão indicam que tenha sido feito por uma sacerdotisa chamada Mer-Neith-it-es, os cientistas apontam que às vezes as múmias são tiradas de seu caixão original para que o use depois. Os antigos vendedores egípcios poderiam colocar outra múmia dentro, se o comprador assim pedisse.

Os arqueólogos agora tentam revelar o mistério de quem na verdade está dentro do caixão, usando modelos 3D e conduzindo escaneamento por Tomografia Computadorizada (CT). “Ela é mais velha, e tem algumas alterações degenerativas precoces e o sacro está fundido, então sabemos que é definitivamente um adulto”, concluiu o professor John Magnussen. O exame mostrou que os restos pertencem a um adulto de mais de 30 anos e que os pés e ossos do tornozelo ficaram intactos em sua grande maioria.

Outra descoberta importante feita pela especialista do Egito, Connie Lord, foi a seguinte: a resina foi colocada no crânio da múmia depois que o cérebro foi retirado. “É uma descoberta incrível, não me lembro de ter encontrado algo parecido. Isto devia ser extremamente raro”.

A identificação dos restos pode levar meses ou até anos. O caixão de Mer-Neith-it-es junto com outros três serão exibidos no novo museu Nicholson.

  • Sputnik Brasil
Continue lendo
Ad

Facebook

Brasil

Ad

Mundo

Mais Vistas