Conecte-se conosco

Política

Cármen Lúcia diz que não vai se dobrar à pressão sobre prisão de Lula

Publicado

em

📷 Ueslei Marcelino / Reuters

A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Carmen Lúcia, disse em evento promovido pela Folha de S.Paulo nesta terça (13) que não vai aceitar pressão para colocar em votação na corte a questão da prisão em segunda instância, que interessa à defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ao ser questionada sobre como lidava com o lobby para revisar a previsão de prisão a partir de decisão da segunda instância, Carmen Lúcia respondeu: “Eu não lido. Eu não me submeto a pressão”.

Ela fez a declaração no evento “Mulheres no Poder – A questão de gênero na Justiça brasileira”, promovido pela Folha de S.Paulo no Teatro Alfa, na zona sul de São Paulo.

Também participaram do debate a ministra-chefe da AGU (Advocacia-Geral da União), Grace Mendonça, e a ministra do Supremo Tribunal Militar Maria Elizabeth Rocha. O evento foi mediado por Maria Cristina Frias, colunista da Folha de S.Paulo

Um dos integrantes da defesa do ex-presidente Lula, o ex-ministro do Supremo Sepúlveda Pertence, visitou ministros do Supremo para que a corte colocasse em votação a medida que altera a decisão de prender a partir de decisão de segunda instância.

Lula pode ser preso a partir da decisão do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), o que pode ocorrer a partir do final deste mês ou em abril.

Ele foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelo TRF-4. A defesa do ex-presidente pediu a revisão da decisão, alegando que há pontos obscuros e ilegais na decisão.

Continue lendo
Ad
Comentários

Política

Ministra Rosa Weber é eleita presidente do TSE e sucede Luiz Fux

Publicado

em

Foto: Carlos Humberto/ SCO STF

ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federla (STF), foi eleita nesta terça-feira (19) nova presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O ministro Luís Roberto Barroso será vice-presidente. As informações são do G1.

A magistrada obteve seis dos sete votos, em eleição secreta. Ela sucede o ministro Luiz Fux no comando da Corte a partir de 14 de agosto. Gaúcha, Rosa é formada pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Rosa se tornou ministra do STF em dezembro de 2011, indicada pela presidente Dilma Rousseff. Ele integra o quadro de ministros efetivos do TSE desde maio de 2016, quatro anos após ter assumido como ministra substituta do tribunal.

Continue lendo
Ad

Facebook

Brasil

Ad

Mundo

Mais Vistas